Quem Somos

A Universidade Aberta da Terceira Idade - UnATI é um órgão da Universidade Do Estado do Amazonas - UEA. A UnATI/UEA foi criada como núcleo de ensino, pesquisa, extensão e assistência sobre questões relativas ao envelhecimento humano, vinculada ao gabinete da reitoria da UEA, para atuar em parceria na Escola Superior De Ciências da Saúde - ESA (Resolução 020/2007  CONSUNIV).
A UnATI/UEA iniciou suas atividades em 17.11.2007 e sua criação vem de encontro a preocupação com a formação de recursos humanos; fomento a pesquisas especializadas no campo de ciência do envelhecimento, identidade e especificidade da variável étnica; e na extensão, no atendimento às políticas públicas essenciais.

Universidade do Estado do Amazonas - UEA

A Universidade do Estado do Amazonas – UEA, regulamentada pela Lei nº 2.637, de 12 de janeiro de 2001, com a natureza jurídica de fundação pública, inscrita no Ministério da Fazenda sob o CNPJ nº 04.280.196/0001-76, foi instituída por meio do decreto nº 21.666, de 1º de fevereiro de 2001 e tem como a missão ser um instrumento de formação profissional e de acesso ao ensino superior, nas mais diversas áreas do conhecimento, e atuar como núcleo de inteligência gerador da política desenvolvimentista do Estado.

A UEA foi concebida com o compromisso de atender a complexa realidade do Amazonas, direcionando suas atenções para as necessidades do homem da região. Presentemente, sua atuação se estende a uma área geográfica de 62 municípios que, compreendendo uma população de 3.350.773, de habitantes (IBGE, 2012) caracteriza-se como uma região de importante desempenho econômico e que encontra na Universidade uma importante aliada na busca de novas bases para transformar desenvolvimento econômico em progresso social para a sua população.

Sua Sede e Foro estão localizados na Cidade de Manaus, onde estão instalados os principais órgãos e serviços de administração e apoio às unidades universitárias localizadas na Capital e Interior do Estado do Amazonas. O Governo do Estado do Amazonas é entidade mantenedora da UEA.

Como Universidade Comunitária, a UEA procura manter-se em permanente diálogo com a sociedade. Seus interesses são os da coletividade e o resultado do seu trabalho é totalmente reinvestido na qualificação da sua ação e no aprimoramento dos serviços oferecidos à população. Hoje, a Universidade do Estado do Amazonas já é parte essencial do projeto de desenvolvimento regional e busca, através da qualificação contínua, crescer e consolidar sua presença no panorama universitário nacional.

Universidade Aberta da Terceira Idade - UnATI

Neste Projeto, participa a Universidade Aberta da Terceira Idade - UnATI, enquanto  orgão suplementar ligado à direção superior da UEA, tendo como missão a produção e disseminação de conhecimento em gerontologia por meio do desenvolvimento de ensino e pesquisa e extensão, cujas principais finalidades  são:

a.  Promover a educação, desenvolvendo o conhecimento científico, particularmente sobre a Amazônia, brasileira e continental, conjuntamente com os valores éticos capazes de integrar o homem à sociedade e de aprimorar a qualidade dos recursos humanos existentes na região;

b.  Ministrar cursos de grau superior com ações especiais que objetivem a expansão do ensino e da cultura em todo o território do Estado;

c. Realizar pesquisas e estimular atividades criadoras, valorizando o indivíduo no processo evolutivo, incentivando o conhecimento científico relacionado ao idoso e sua inter-relação com o  meio ambiente amazônico;

d.  Participar da elaboração, da execução e do acompanhamento das políticas de desenvolvimento governamentais, inclusive com a prestação de serviços;

e.  Promover e estimular o conhecimento da tecnologia da informação;

f.       Cooperar com Universidades e outras instituições científicas, culturais e educacionais brasileiras e internacionais, promovendo o intercâmbio científico e tecnológico.

 

  CENTRO DE CONHECIMENTO PARA O ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL (CENEV)


Com o envelhecimento acelerado da população brasileira torna-se um desafio para o sistema de atendimento ao idoso oferecer serviços de qualidade aos envelhecentes e adultos mais velhos. A legislação brasileira, por meio do Estatuto  do  Idoso,  assegura a pessoa idosa direitos fundamentais, principalmente no que se refere às suas condições de saúde, dignidade e bem-estar. Aqui são destacados, do Estatuto do Idoso (BRASIL, 2013), os direitos à atenção integral à saúde, por intermédio do Sistema Único de Saúde (SUS), incluindo a atenção especial às doenças que afetam preferencialmente os idosos; à  educação,  cultura,  esporte,  lazer, produtos e serviços que respeitem sua peculiar condição de idade; e à assistência social. Para assegurar estes direitos da previstos na política de idosos o sistema de atendimento do idoso, formado pelo conjunto articulado de ações governamentais e não governamentais da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, deve, de forma integrada, oferecer produtos e serviços próprios à esta população.

Este desafio torna-se ainda maior na Amazônia, uma região com as mais altas taxas de crescimento populacional, que ainda enfrenta problemas de saúde já equacionados em outras partes do Brasil e outros que são específicos dela, tais como, a complexidade de organização da assistência em um vasto território ocupado por uma população dispersa com grande diversidade étnica e a ocorrência de doenças negligenciadas.

É necessário capacitar o sistema de atendimento ao idoso para que ele promova o envelhecimento saudável da população da Amazônia e ofereça serviços de qualidade aos envelhecentes e adultos mais velhos.

Nos países membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), em muitas áreas, incluindo saúde e assistência social, as tecnologias, especialmente as tecnologias de informação e comunicação (TIC), têm desempenhado um papel maior no enfrentamento do desafio do envelhecimento populacional e possuem um potencial de fazer ainda mais, especialmente se o fosso entre a pesquisa e o mercado puder ser fechado (TAYLOR, 2011). No caso específico, as tecnologias são propostas como um meio para propiciar a igualdade e a equidade de acesso aos serviços de educação, saúde e assistência social para a população envelhecentes e adultos mais velhos, que de outra forma são excluídas, bem como uma maneira de tornar mais eficiente e eficaz a gestão dos sistemas que atendem a estas pessoas. Considerando o sistema de atendimento ao idoso, um sistema complexo e multifacetado, é esperado (e necessário) que ele integre diferentes áreas de conhecimento afim de realizar o potencial esperado das tecnologias no aprimoramento do sistema para fazer frente ao envelhecimento populacional.

A Academia tem um papel relevante diante deste desafio, podendo contribuir com a pesquisa, ensino e extensão para desenvolver conhecimento e tecnologias e formar pessoas que irão promover a melhoria do sistema de atendimento ao idoso. Para realizar plenamente este papel a Academia tem que se articular com o mercado, formado pelas instituições provedoras de serviços e pelas empresas de base tecnológica, além de outros atores.

Em linha com  esta concepção do papel da Academia no enfrentamento deste desafio social a partir do uso intensivo de tecnologias, a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), por meio da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI) é que foi criado o Centro de Conhecimento para o Envelhecimento Saudável (CENEV).

O CENEV foi criado para produzir e disseminar conhecimento e tecnologias que irão contribuir efetivamente na promoção do envelhecimento saudável da população e na melhoria do cuidado de adultos mais velhos, no estado do Amazonas e em outras regiões brasileiras.

A concepção do CENEV se dá a partir da experiência da UnATI/UEA e da perspectiva da sua evolução para contribuir de forma inovadora no enfrentamento do desafio de qualificação dos serviços para envelhecentes e adultos mais velhos, a partir da sua própria concepçao e histórico

 

Equipe Editorial/Editorial Board

Editor Chefe

Prof.Dr. Euler Esteves Ribeiro

Universidade Aberta da Terceira Idade - Universidade do Estado do Amazonas 

 

Editores Associados

Profa.Dra. Ivana Beatrice Mânica da Cruz
Laboratório de Biogenômica- Universidade Federal de Santa Maria

Dra. Fernanda Barbisan
Universidade Aberta da Terceira Idade - Universidade do Estado do Amazonas
Universidade Federal de Santa Maria

Editoria Executiva

Editora Executiva: Dra. Ednea Aguiar Maia Ribeiro
Secretária executiva: Raquel de Souza Praia

 

Corpo Editorial

Em atualização

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!